Há uma nova oportunidade para reabilitar o aeródromo de Alijó

Aeródromo de Alijó | Imagem: Eduardo Pinto

A Câmara Municipal de Alijó vai celebrar um protocolo com a empresa Flying Equipment Skyline Lda e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) com vista à reativação do aeródromo da Chã, no concelho de Alijó. O objetivo é desenvolver e testar motores a hidrogénio, por exemplo.



A autarquia alijoense está a trabalhar, há cerca de ano e meio, com a Flying Equipment Skyline Lda. Segundo o presidente da Câmara, José Paredes, a empresa desenvolve atividade de “testagem e desenvolvimento de motores movidos com novos combustíveis, como o hidrogénio” em colaboração com diversas instituições de ensino superior.

Aproveitando fundos comunitários no âmbito da transição energética, a empresa privada desenhou um projeto para o aeródromo da Chã. “Na fase inicial prevê a reabilitação e pavimentação da pista maior, que tem cerca de 1600 metros. Numa fase seguinte vai ter uma pista verde destinada ao desenvolvimento de equipamentos também verdes (não poluentes)”, explica José Paredes.

O autarca acrescenta que “não está excluída a hipótese de ter nas imediações do aeródromo uma unidade de produção de hidrogénio”.
 
A assinatura do contrato entre a Câmara de Alijó, a Skyline e a UTAD deverá acontecer em breve. O Executivo autárquico aprovou por unanimidade a proposta e a Assembleia Municipal vai ficar a conhecê-la na reunião da próxima sexta-feira, 29 de abril.

A Câmara de Alijó tem “muita esperança” neste projeto. O autarca acredita que “vai criar empregos em várias áreas”, tendo em conta que a Skyline tem ligações a empresas de outros países europeus e “pode atrair capital estrangeiro e mão-de-obra muito qualificada”.
 
A participação da autarquia alijoense neste projeto resume-se à cedência do espaço do aeródromo, que será sempre gerido pelo Município.

Rádio Ansiães

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.