GNR de Mirandela já deteve 20 caçadores por vários crimes durante a caça

Armas e munições apreendidas pela GNR em Mirandela e Vila Flor | Foto: GNR

A GNR anunciou esta terça-feira que deteve, no domingo, oito caçadores por crimes contra a preservação da fauna e das espécies cinegéticas, nos concelhos de Mirandela e Vila Flor.



Só no último mês, o Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Mirandela já deteve 20 caçadores por vários crimes durante a caça.

As detenções mais recentes aconteceram no âmbito da “Operação Artémis”, que decorre em todo o território nacional e que tem como objetivo a intensificação da fiscalização do ato venatório.

Em São Pedro de Vale do Conde (Mirandela), foi detido um cidadão, de 63 anos, que caçava tordos com recurso a um chamariz electrónico. Trata-se de um caçador residente no distrito de Braga que já foi detido três vezes pelo mesmo crime.

Em Valtorno, no concelho de Vila Flor, a GNR deteve sete indivíduos, com idades entre os 42 e os 66 anos, que caçavam tordos fora do horário e do local permitido para a prática.

Para além das detenções foram ainda apreendidas oito caçadeiras, centenas de cartuchos, um chamariz e 19 exemplares de espécies cinegéticas mortas.

Depois de presentes aos tribunais de Mirandela e Vila Flor para primeiro interrogatório, os sete detidos no concelho de Vila Flor foram condenados ao pagamento de coimas que vão dos 440 aos 800 euros e um deles ainda terá de cumprir 80 horas de trabalho comunitário.

Já o detido no concelho de Mirandela, por ser reincidente, o tribunal decidiu que o processo baixa a inquérito do Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.