Agravamento da pandemia põe Proteção Civil de Carrazeda mais atenta a quem precisa de ajuda

Depois de ter estado várias semanas sem casos de covid, o concelho de Carrazeda de Ansiães voltou a ter um caso na terça-feira e, segundo o relatório das autoridades distritais de saúde, ontem chegou aos sete casos.

Como é previsível que o número de testes positivos continue a aumentar, o presidente da câmara e coordenador da Proteção Civil Municipal, João Gonçalves, diz que é preciso redobrar os cuidados e estar atento às necessidades de quem precisa de apoio:

João Gonçalves destaca ainda a atitude de algumas instituições particulares de solidariedade social do concelho de Carrazeda, como é o caso do lar da misericórdia. Tal como na primeira vaga da pandemia, decidiram com antecedência cancelar as visitas aos utentes dos lares e pôr as equipas a funcionar em espelho, para evitar eventuais surtos de covid:

Refira-se que em comentário a esta notícia, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Carrazeda de Ansiães (que pode ler em baixo), adiantou que no caso do lar gerido por esta instituição “o funcionamento atual não é em ‘espelho'”, processo que “nunca adotou”.

Ricardo Pereira esclarece que, quer no primeiro período de confinamento, quer nesta segunda vaga do surto de covid-19, a instituição tem vindo a “trabalhar em ‘colmeia'”. O lar fica “confinado na totalidade” para os utentes e para os colaboradores por “períodos de dez dias”.

O provedor conclui que “todos os colaboradores são sempre testados antes de iniciar o respetivo confinamento de dez dias”.

Comentário(s) para: “Agravamento da pandemia põe Proteção Civil de Carrazeda mais atenta a quem precisa de ajuda

  1. No caso da Santa Casa da Misericórdia de Carrazeda de Ansiães o funcionamento atual não é em “espelho”, aliás esta instituição nunca adoptou este processo. Quer no primeiro confinamento quer agora nesta segundas fase do surto Covid a instituição tem vindo a trabalhar em “colmeia” ou seja o lar fica confinado na totalidade, os utentes quer os colaboradores por períodos de dez dias. Todos os colaborador são sempre testados antes de iniciar o respetivo confinamento de dez dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *