Família de mulher que morreu depois do parto podendera queixa

A família de uma mulher que morreu durante o parto, na passada quinta-feira, no hospital de Vila Real, está a aguardar o resultado da autópsia para decidir se apresenta queixa contra a equipa médica por alegada negligência.

A vítima é Cármen Fonseca, de 39 anos, natural da freguesia do Seixo, no concelho de Carrazeda de Ansiães. Trabalhava em Alijó, nos serviços de escritório e armazém de uma clínica dentária.

A irmã de Cármen, Tânia Fonseca, contou, sem gravar declarações, que ela tinha uma “gravidez de risco”, devido “à idade e ao facto de ser diabética”.

Na tarde da passada quarta-feira, a grávida entrou na maternidade do hospital de Vila Real com muitas contrações e ficou internada.

Na manhã do dia seguinte foi submetida a uma cesariana de urgência. O bebé nasceu bem, por volta das 9 horas. A mãe morreu à noite.

Tânia acrescenta que a família não consegue entender como foi possível “esperar tantas horas por uma cesariana, depois de saberem que se tratava de uma gravidez de risco” e de a irmã “ter chegado às urgências cheia de dores e a sangrar”.

Os familiares de Cármen estão convencidos que se tratou de um caso de “negligência médica”, mas preferem “esperar pelo resultado da autópsia” para decidir se apresentam queixa contra a equipa médica envolvida.

Para já, fica a revolta em forma de alerta para “para evitar que haja mais casos como este”.

O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, que gere os hospitais de Vila Real, Chaves e Lamego, informou, em comunicado, que “todo o processo assistencial decorreu seguindo as boas práticas clínicas estabelecidas para este tipo de intervenção”.

“Por uma questão de rigor e transparência”, o centro hospitalar decidiu instaurar um processo de averiguação pela morte da parturiente. O conselho de administração manifestou também o seu “sentido pesar à família da utente”.

Entretanto, o bebé Martim, que nasceu com 3,2 quilos e que está estável, vai ficar com o pai, companheiro de Cármen Fonseca.

A vítima é Cármen Fonseca

Comentário(s) para: “Família de mulher que morreu depois do parto podendera queixa

  1. Inadmissivel que isto aconteça en 2020!!
    Agora é o pote de Barro contra o pote de FERRO!!

    Podre dela que partiu e o bébé que ficou sem mãe🤦‍♀️🤦‍♀️

    Muita força á familia 💚

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *