Covid-19 | Autarcas do distrito de Bragança exigem quarentena obrigatória para quem chega do estrangeiro




Os autarcas do distrito de Bragança exigem que seja implementada outra vez a obrigatoriedade de isolamento profilático para quem venha do estrangeiro.

Os presidentes das câmaras do distrito de Bragança contestam a decisão da Direção-Geral de Saúde de suspender a medida de isolamento profilático imposto a quem chegam do estrangeiro, que havia sido decidida pela Administração Regional de Saúde do Norte. 

Em comunicado da tarde desta terça-feira, os 12 autarcas alertam que a decisão “contraria todas as medidas e recomendações implementadas pela Comissão Distrital de Proteção Civil de Bragança” com vista “ao combate à Covid-19 e à proteção dos cidadãos mais vulneráveis e grupos de risco, entre os quais os idosos”.  

Os presidentes das câmaras salientam que, com a aproximação da Páscoa, vai registar-se “um elevado fluxo por parte da comunidade emigrante” que poderá colocar “em risco todos os residentes”, já que, poderá originar “cadeias de contágio”, que, por sua vez, pode “levar à mortalidade de grupos de risco, como é o caso das pessoas mais velhas”. 

Os autarcas exigem “a manutenção das medidas de obrigatoriedade de isolamento profilático por quarentena, dos cidadãos provenientes do estrangeiro, independente da nacionalidade e do país de origem, e/ou de outras regiões do país, para o distrito e/ou para a região”, reclamando também o seu “controlo sanitário”.

Também exigem que seja efetuada a “notificação” daquelas pessoas, por parte das forças de segurança da “violação da obrigação de confinamento obrigatório, a qual constitui crime de desobediência”.

Os autarcas deram conhecimento destas exigências ao Presidente da República, ao Governo e à Direção-Geral da Saúde, entre outros organismos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *