Carrazeda é a única vila da região com ensino superior profissional do IPB

Alunos e professores com autarca de Carrazeda e presidente do IPB | Foto: Eduardo Pinto

O Instituto Politécnico de Bragança não teve o sucesso pretendido, este ano, na adesão aos chamados CTeSP´s, os cursos técnicos superiores profissionais.

Na região transmontana, apenas funcionam nas cidades de Bragança, Mirandela e Chaves, e na vila de Carrazeda de Ansiães.

Em entrevista à Rádio Ansiães, o presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Orlando Rodrigues, salienta que as pessoas ainda não perceberam bem a potencialidade destes cursos:

Declarações do presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Orlando Rodrigues.

Voltando aos cursos técnicos superiores profissionais, tirando as cidades de Bragança, Mirandela e Chaves, Carrazeda de Ansiães é a única vila da região que consegue pôr a funcionar um CTeSP do IPB.

Esta semana abriu em Carrazeda de Ansiães o segundo CTeSP, destinado a preparar cuidadores de idosos.

Depois de em 2018 passado ter começado a funcionar o curso de Instalações Elétricas e Energias Renováveis, este ano está em curso de Gerontologia.

Resulta de uma parceria entre a Câmara de Carrazeda de Ansiães e o Instituto Politécnico de Bragança.

João Gonçalves, presidente da Câmara de Carrazeda, realça o sucesso da implementação destes cursos e com maior procura:

A satisfação de João Gonçalves, presidente da Câmara de Carrazeda.



Alexandra Morais, 18 anos, residente em Vila Flor, é uma das alunas deste curso técnico superior profissional de Gerontologia em Carrazeda:

Margarida Ribeiro, 18 anos, também de Vila Flor, inscreveu-se pelas mesmas razões de Alexandra:

O CTeSP de Gerontologia tem como objetivo ser uma das respostas para a necessidade de qualificar colaboradores para as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho e da região.

Os alunos inscritos vão ter uma formação com unidades curriculares ligadas à área da saúde, educação e formação de trabalho social. No segundo ano, o IPB vai estabelecer protocolos com as IPSS locais, Centro de Saúde e Santa Casa da Misericórdia para permitir aos alunos efetuarem o estágio semestral em contexto de trabalho.

Se Alexandra Morais e Margarida Ribeiro, as duas alunas de Vila Flor matriculadas no curso Técnico Superior Profissional de Gerontologia, quiserem, quando o terminarem, prosseguir uma licenciatura no IPB vão ter propinas mais altas do que as praticadas atá ano letivo passado.

É que este ano, o Politécnico de Bragança decidiu aumentar as propinas para 871 euros, enquanto a maior parte das instituições de ensino superior as baixou para aquele valor.

O presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Orlando Rodrigues, explica esta medida:

A explicação do presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Orlando Rodrigues, para o aumento do valor das propinas, este ano, de 815 para 871 euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *