Mais de 3000 cabras ajudam a limpar matas de Boticas

Foto: Avelino Rego

O concelho de Boticas tem o maior projeto de cabras sapadoras do país. Envolve mais de três mil animais, propriedade de 26 produtores pecuários, e abrange mais de 200 hectares.

Para que os rebanhos estejam sempre localizáveis, vão ter um chip que permite acompanhar o seu trajeto em tempo real, quer pelo pastor, quer por técnicos da Cooperativa Agrícola de Boticas (Capolib), entidade que dinamiza o projeto.

Este é um dos planos do programa de apoio do Governo à constituição de rebanhos de cabras sapadoras.

O projeto tem 10 mil animais, gere três mil hectares de norte a sul e envolve 500 mil euros. Objetivo do Governo é duplicar investimento, aumentar área para cinco mil hectares e apoiar novos rebanhos, segundo o secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas.

Boticas também tem um agrupamento de baldios que resulta da “maior candidatura do país”, segundo Albano Álvares, presidente da cooperativa. Abrange uma área de 15 mil hectares e envolve 22 unidades de baldio.

A Capolib assinou quatro protocolos de colaboração com a Forestis, Município de Boticas, gestores de baldios e produtores pecuários do concelho. “Entendemos que a floresta tem de começar a ser gerida em conjunto, pois só assim é que se consegue tê-la mais ordenada”, explicou Albano Álvares, sublinhando que é preciso rentabilizar um “património tão rico e tão vasto”.

O presidente da Câmara, Fernando Queiroga, confessou ter ficado “surpreendido” por se terem reunido tantas vontades, já que “os concelhos diretivos dos baldios têm uma gestão muito atípica e não estão habituados a trabalhar em rede”. “Foi muito difícil chegar até aqui”, acentuou, destacando que “não se pode andar sempre a suplicar que é necessário ter mais gente, quando a riqueza já cá está e só preciso que as pessoas apostem nela”.

Em todo o país, “esperamos concluir, ainda este ano, a constituição de 20. Vão gerir cerca de 100 mil hectares e serão apoiados com 3,6 milhões de euros, acrescentou o secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas.

Por Eduardo Pinto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close