Comboio histórico do Douro registou enchentes em junho

Sandra Lopes, Sara Pereira e Sandra Matos foram três dos 250 passageiros
Foto: Eduardo Pinto

As cinco viagens do comboio histórico do Douro realizadas, este ano, registaram lotação praticamente esgotada.

A CP reduziu para cerca de metade as circulações por quebra na procura em 2018, mas a campanha em curso tem demonstrado que há cada vez mais gente interessada em fazer a viagem entre o Peso da Régua e Foz-Tua, no concelho de Carrazeda de Ansiães.

José Cavalcante e a mulher Sandra, brasileiros que vieram com os dois filhos, ficaram muito agradados com a experiência:

Sara Pereira fez sábado 26 anos. As amigas Sandra Lopes e Sandra Matos ofereceram-lhe uma experiência no comboio histórico do Douro em vez de uma prenda material:

Estas três amigas foram três dos quase 250 passageiros do comboio histórico do Douro do passado sábado.

A campanha deste ano arrancou no início de junho, marcada pela redução do número de viagens para cerca de metade comparativamente com 2018, o que originou críticas de autarcas.

Um deles foi o de Carrazeda de Ansiães, João Gonçalves, que, juntamente com o homólogo da Régua, reuniu com presidente da CP para lhe manifestar o desagrado com a decisão. O encontro não mudou nada, pelo menos para já:

Este ano, o comboio histórico do Douro circula só ao sábado e no dia 15 de agosto, até 26 de outubro, entre o Peso da Régua e Foz-Tua (Carrazeda de Ansiães).

Por Rádio Ansiães

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close