Veiga de Lila ganhou guerra contra eucaliptos há 30 anos

Cândida Monteiro, José Almeida e Delfina Cardoso orgulham-se da batalha de há 30 anos
Foto: Eduardo Pinto

Completaram-se ontem 30 anos sobre uma autêntica revolução em Veiga de Lila, uma freguesia do concelho de Valpaços. O povo não gostou que as oliveiras tivessem sido substituídas por eucaliptos na Quinta do Ermeiro e foi lá arranca-los à mão.

Não os queriam porque se dizia que secavam a terra e ardiam como pólvora. Mas o grande motivo foi outro. Os trabalhadores agrícolas perderam centenas de jeiras no olival. Em troca ficavam aquelas árvores de crescimento rápido.

Amândio Ferreira esteve na linha da frente contra a plantação de eucaliptos
Foto: Eduardo Pinto

A revolução cresceu nos avisos porta a porta e não houve quem ficasse indiferente ao que estava em causa, recorda Amândio Dias Ferreira, de 79 anos:

Delfina Cardoso, de 83 anos, recorda a revolução dos eucaliptos como um dia inesquecível. Mesmo quem não quis alinhar de início acabou por não ficar indiferente:

Armando Pereira, 77 anos, era pastor, naquela altura. Entregou o rebanho a um filho e levou o outro e a mulher para arrancar eucaliptos na Quinta do Ermeiro:

Apesar da GNR, o povo não teve medo, afirma Cândida Monteiro, de 83 anos:

Ainda há alguns eucaliptos na quinta do Ermeiro, que povo de Veiga de Lila assaltou, há 30 anos, para destruir uma plantação de cerca de 200 hectares.

Não é nada de preocupante, tendo em conta que a aldeia está rodeada, sobretudo, de terrenos agrícolas. E, assim, vai estando protegida do fogo.

Armando Pereira ainda teve de pagar mais de 100 euros de multa
Foto: Eduardo Pinto

Por Rádio Ansiães

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *